Viseu: este é “o ano oficial para votar PS”


Lúcia Araújo Silva, durante a apresentação da sua candidatura à Câmara Municipal de Viseu, afirmou que este é “o ano oficial para votar PS” e garantiu que ia retirar o concelho de “uma certa asfixia monocolor”, caso seja eleita nas Autárquicas de 01 de outubro.

No discurso de apresentação da sua candidatura, Lúcia Araújo Silva defendeu que Viseu tem todas as condições para alterar o ambiente político, “retirá-lo de uma certa asfixia monocolor”, e construir um numa governação assente no “reforço de laços que nos ligam a todos os concelhos vizinhos” e “tornar o concelho de Viseu uma referência na captação de investimento, utilizando uma diplomacia económica, inteligente e persistente, com base num modelo fiscal amigo das famílias e das empresas”.

Para Lúcia Araújo Silva, “a cidade e o município não se fazem com discursos ou publicidade, constrói-se com atos! Todos somos viseenses, mas o Rossio parece renegar as freguesias rurais, onde é patente uma depressão demográfica agravada”.

No seu entender, os últimos anos com o PSD na liderança revelaram-se demasiado “imateriais”, pautando-se essencialmente por “propaganda, de anúncios e reanúncios, de discursos e cerimónias, de assinaturas e protocolos, de ‘stands’ e vídeos promocionais, de palcos e pendões, de momentos e eventos, de festas e celebrações, festas e festanças”.

Durante a cerimónia – que contou com a presença de Maria Manuel Leitão Marques, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa; e de João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e do Desporto – Lúcia Araújo Silva apontou a necessidade da construção da ligação viária em autoestrada a Coimbra e a ligação de Viseu à ferrovia, assegurando que iria ser “intransigente no superior interesse dos viseenses”.